7 Dicas de Finanças Pessoais

7 dicas para controlar as finanças pessoais

Após uma grave crise financeira, a economia nacional começa a dar sinais tímidos de melhora. No entanto, a estabilidade ainda tende a demorar ligeiramente para se estender para todos os setores.

Além disso, a marca de 13 milhões de desemprego é bastante considerável. Por isso, é essencial que o cidadão consiga aplicar formas de controlar as suas finanças pessoais para não cair em nenhuma situação caótica ou agravar ainda mais o seu problema de falta de dinheiro.

Muitas pessoas acreditam que a compreensão de técnicas sobre gestão financeira demanda muito estudo, dinheiro investido e cálculos excessivos. Não é nada disso, já que o acesso a informação nunca esteve tão democrático.

Portanto, você pode aprender a gerenciar o seu orçamento pessoal somente com um dispositivo móvel e acesso a rede mundial de computador. Por isso, confira 7 dicas para controlar a sua situação financeira pessoal de forma simples e pratica.

Dicas para garantir as finanças pessoais

1 – Compreenda o conceito de organização financeira

O primeiro passo que você deve dar é entender a relevância de colocar a sua situação financeira em ordem. A organização é essencial em todos os aspectos da sua vida, se você não sabe como está a sua condição econômica terá poucas possibilidades de melhorar o estado atual.

Por isso, note a importância de organizar as suas contas, entradas, saídas e despesas fixas. Então, retire algumas horas para reunir todas essas informações e averiguar realmente qual é a sua condição econômica neste momento.

2 – Entradas e saídas

A partir daí, você pode começar a elaborar um cronograma para equilibrar as suas contas, caso tenha alguma pendência. Você deve traçar um paralelo entre as suas entradas e saídas mensais.

Basicamente, entradas são as suas fontes de renda (salário, rendimentos variados, trabalhos autônomos, aluguel de propriedades, etc) e as suas saídas são as suas despesas gerais. Neste sentido, você precisa descobrir se está gastando mais do que arrecada nos últimos tempos.

3 – Não gastar mais do que se ganha

Você deve considerar algumas despesas como “fixas”, ou seja, são as contas que vão chegar todos os meses na sua casa: água, telefone, energia elétrica, plano de saúde, alimentação, higiene, mensalidade da escola, parcelas do carro e/ou da casa, etc.

Cada cidadão sabe – ou deveria – o quanto costuma gastar nesta categoria de renda fixa. Apesar de a economia ser possível, essas despesas nunca vão deixar de existir, mas, o racionamento pode ser forma de maneira mais contundente com outros gastos.

As suas despesas variáveis (roupas, sapatos, gasolina, televisão por assinatura, compras de produtos não essenciais, etc) podem ser reduzidas ou mesmo evitadas por um tempo para facilitar a normalização da sua situação financeira. Melhor do que ninguém, você sabe o que pode ser cortado por um tempo para lhe permitir um alívio no fim do mês.

4 – Renegociação de dívidas

Se você conta com alguma pendência financeira sempre é recomendado procurar o credor para procurar uma renegociação. É claro que o mais correto é evitar qualquer acúmulo de dívida, mas ninguém está impedido de tentar dialogar com o alongamento do prazo e outras facilidades.

Vale a pena buscar o dialogar para tentar suavizar a sua condição neste momento de dificuldade nacional.

5 – Planejamento

Quando a sua condição financeira pessoal estiver relativamente tranquila, é recomendado efetuar um planejamento a curto, médio e longo prazo, sobretudo, se você tem interesse em trocar um carro, financiar uma casa ou apartamento.

Isso acontece para que você possa ter plena noção de tudo que entra e sai do seu orçamento. Uma dica muito simples é anotar absolutamente todos os seus gastos – independente da plataforma usada para isso.

Hoje em dia, muitos aplicativos de gestão financeira podem ser usados para isso. Portanto, você pode fazer o seu planejamento econômico para os próximos mesmo e até mesmo simulações para consórcios ou financiamentos com alguns cliques e onde quiser.

6 – Pagamentos à vista

Nem sempre é fácil evitar o impulso da compra, mas o pagamento a vista permite algumas reflexões e elimina a possibilidade de acumular mais uma dívida no seu orçamento.

Quando você decide comprar um eletrodoméstico, uma roupa ou um aparelho eletrônico a vista, geralmente, precisa de algum tempo para reunir todo o dinheiro.

Esse período possibilita que você avalia se é realmente necessária essa aquisição, além disso você pode obter bons descontos ao pagar imediatamente.

7 – Economia

Este é o ponto em que a maioria das pessoas deseja alcançar. A oportunidade de ter um pouco de dinheiro, mesmo que seja uma quantia mínima, para economizar todos os meses. Mas, você estará guardando esse dinheiro por qual motivo?

Quem tem uma família sabe que emergências acontecem a todo o momento: dor de dente, consulta com especialista, novos calçados, novas roupas, remédios, consertos na casa e tantos outros acontecimentos que podem exigir uma quantia que você não tem disponível.

Neste caso, a sua economia pode lhe proporcionar essa “rede de proteção” em uma eventualidade ou mesmo para dar um destino muito mais prazeroso para essa reserva, como, por exemplo, uma viagem.

Afinal, quando você começa a poupar mensalmente tem oportunidade de organizar seus compromissos com mais tranqüilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *